Cristãos presos são punidos depois de receber visita de pastor com câmera no Sudão
MISSÕES 06/07/2015 - 12:16
 
 
Pastores Yat Michael e Peter Yen Reith estão detidos por acusações puníveis com morte ou prisão perpétua no islã
 
Dois pastores presos na República do Sudão foram transferidos a celas isoladas como forma de punição, porque um pastor filmou a prisão em uma das visitas. Na nova unidade de detenção, os prisioneiros tiveram o acesso a visitantes e a um advogado negado.

Os pastores Yat Michael (preso há seis meses) e Peter Yen Reith (preso há cinco meses) estão detidos por acusações puníveis com a morte ou prisão perpétua. Os dois pastores trabalhavam na Igreja Evangélica Presbiteriana do Sudão do Sul, que tem seu terreno em disputa por empresas privadas, apoiadas pelo governo.

William Devlin, que pastoreia a Igreja Infinity Bible nos EUA, visitou o Sudão por oito vezes. Em sua última viagem, o objetivo foi visitar Michael e Reith. No entanto, enquanto esperava sua vez para encontrar os pastores, Devlin tirou fotos e filmou a área de espera da prisão, e foi detido em seguida.

"Eles excluíram as fotos e disseram que eu tinha cometido um crime", disse Devlin. "Eu disse aos guardas: 'Peço desculpas, peço o seu perdão, eu não estava ciente de que isso fazia parte da política daqui'."

Devlin foi detido e interrogado durante mais de uma hora, enquanto outros três pastores sudaneses que o estavam acompanhando foram autorizados a conhecer Michael e Reith.

O advogado dos pastores orientou Devlin a não visitá-los, para que o governo não dê condições piores aos prisioneiros. Devlin reconhece, mas ainda incentivou mais pastores americanos a visitarem seus colegas presos em outros países.

"Meu desafio a outros pastores americanos é pegar um avião como eu fiz e ir até lá, e visitar esses pastores. Não seja tão auto-centrado sobre a sua igreja, mas lembre-se o que Jesus disse em Mateus 25: 'Quando eu estava na prisão, você me visitou'", disse.

Desde que o Sudão do Sul separou-se do restante do país em julho de 2011, a perseguição cristã tem aumentado no Sudão. O presidente Omar al-Bashir aprovou uma versão mais rigorosa da lei islâmica e reconhece apenas a cultura muçulmana na nação. Desde então, o Sudão parou de emitir licenças de construção para igrejas, expulsa cristãos estrangeiros, e tem igrejas demolidas.

Fonte: CPAD News
 
 
Não esqueça de comentar
 
Pesquise em nosso Acervo
 
Leia também
  Centenas de cristãos estão presos na Eritreia
A fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) divulgou que há mais de 300 cristãos presos na Eritreia, p
 
  Mais de 200 madrassas foram fechadas no Paquistão
Esse tipo de escola vem preocupando o próprio governo, já que as crianças cada vez mais se simpatiza
 
  Morrer em missões ou viver em missões? Por Teófilo Karkle
Verão de 2008, mês de janeiro, capital do Chile, um dia em que jamais vou esquecer. Depois de 55 dia
 
Publicidade
 
Em cima da Hora
  Pela primeira vez, TSE manda retirar fake news da internet
O ministro substituto do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Sérgio Banhos determinou hoje (7) que o F
 
  Temer se reúne com presidentes da Assembleia de Deus no Brasil
O presidente Michel Temer, participa da Assembleia Geral Extraordinária da Convenção Nacional das As
 
  Veja fatos que marcaram os dois anos do governo Temer
O presidente Michel Temer reúne nesta terça-feira (15), no Palácio do Planalto, a equipe ministerial
 

 

© 2018 JE - Jornal Evangélico - O Jornal Evangélico é uma publicação Interdenominacional.
Todos os direitos reservados.