Juliana Cardoso participa de plantio de mudas nativas
POLÍTICA 16-04-2018 - 23:55
   
 
Douglas Pires

Encabeçada pelo Rotary Club da cidade, ação foi realizada no sábado (14 de abril), culminando no plantio de 30 mudas, que, futuramente, darão forma à mata ciliar de proteção de manancial; engenheira ambiental apoia projeto de preservação do rio, localizado no distrito de Palmeiras, na região sul do município

Juliana Cardoso participou do plantio de 50 mudas nativas da Mata Atlântica nas margens do ribeirão Balainho, na região de Palmeiras, zona rural de Suzano-SP. A ação, que faz parte do projeto de preservação do manancial encabeçado pelo Rotary Club de Suzano e que conta com o apoio da engenheira ambiental e mestre em Administração Pública, foi realizada dentro do Magic City, parque aquático privado por onde passa o rio. De acordo com a republicana, as mudas se transformarão, futuramente, em mata ciliar de proteção de manancial:

“A presença desta mata é de extrema importância. A mata ciliar é aquela vegetação que fica entorno do rio. Então, se a gente não preservar esta mata, o rio fica sem proteção e acaba recebendo volumes de terra e sujeira – sem contar que a qualidade da água também vai piorando, substancialmente”, detalha Juliana, que também é mestranda em Direito Ambiental.

Organizada no sábado (14 de abril), a iniciativa contou com a participação de escoteiros de Suzano e de representantes da Prefeitura. Além do plantio das mudas, o projeto “Caminhos do Ribeirão Balainho” ainda abarcou a implantação de uma fossa biológica dentro de uma propriedade particular que fica às margens do ribeirão:

“Todas essas ações fazem parte do projeto de preservação ao Balainho. A ideia é guardar o ribeirão e dar voz a ele, que, infelizmente, é pouco conhecido em Suzano e nas demais cidades do Alto Tietê, apesar de ser importante patrimônio ecológico de nossa região”, valoriza Juliana.

Desde o início deste ano, a republicana atua como parceira no programa desenvolvido pelo Rotary Club. De lá para cá, foram realizadas diversas reuniões para o planejamento das ações de preservação, bem como expedições às margens do ribeirão. Em algumas dessas incursões, o grupo coletou amostras de água em diferentes pontos, registrou pegadas de animais silvestres nas imediações e providenciou um levantamento no que reside o plantio de eucaliptos no espaço.

Até o final deste mês, kits para análise técnica das águas do Balainho devem chegar a Suzano. Os instrumentos foram doados para a cidade, especificamente para o projeto de preservação do rio, pela SOS Mata Atlântica. Foi durante uma reunião realizada na 8ª edição do “Fórum Mundial da Água”, em Brasília-DF, em março passado, que Juliana solicitou os kits à fundação, que, não de hoje, é reconhecida internacionalmente. Os equipamentos fazem parte do projeto “Observando Rios”.

Foto: Verônica Ribeiro
 
 
 
 
Pesquise em nosso Acervo
 
Leia também
  Câmara aprova oferta de drenagem linfática pelo SUS
A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou nesta quarta-feira (11) o Projeto de Lei
 
  Eleição presidencial já tem 14 pré-candidatos oficializados
A exatos seis meses da eleição presidencial deste ano, pelo menos 14 nomes já se colocaram publicame
 
  Famílias participam de regularização fundiária em Poá
Aconteceu na noite de ontem (5), na Igreja Brasil para Cristo, em Calmon Viana, reunião para assinat
 
Publicidade
 
Em cima da Hora
  Vereador Aparecido Marabraz questiona o valor do contrato do lixo
Em meio a toda polêmica relacionada ao último aumento no valor da taxa de coleta de lixo domiciliar,
 
  Emprega Itaquá já tem mais de 4,1 mil candidatos cadastrados
Criado há pouco mais de três semanas para proporcionar o aumento da empregabilidade dos moradores de
 
  Esplanada dos Ministérios tem atos pró e contra Lula
No momento em que ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) julgam o pedido de habeas corpus preve
 

 

© 2016 JE - Jornal Evangélico - O Jornal Evangélico é uma publicação Interdenominacional.
Todos os direitos reservados.